Food-Flatlay-Tips-1.jpg


 



(...)  o que está e deverá estar sempre presente é um estilo de vida equilibrado, saudável e acima de tudo, feliz. 


 



Hoje em dia vivemos rodeadas de dietas e de novos estilos de vida, novas formas de comer. Todos os dias aparecem teorias e estudos novos e acabamos por ser bombardeadas com uma série de informações e não sabemos muito bem por onde nos devemos guiar. Chegamos a ser de tal forma invadidos que acabamos, muitas vezes por nos tornarmos obcecadas com um estilo de vida mais saudável, no entanto qual é que é o limite entre adoptar um estilo de vida saudável ou ser-se obcecado por ela?


 



 


Esta pergunta vem na sequência de uma conversa que tive com uma amiga, a propósito de uma reportagem que a SIC transmitiu há umas semanas sobre a Ortorexia. Sou defensora de um estilo de vida saudável, até porque mudei os meus hábitos alimentares radicalmente, experimentei vários tipos de dietas e várias abordagens para responder às necessidades do meu corpo, contudo também “saio da linha” como qualquer uma de nós e não vivo obcecada a contar calorias, açúcares, hidratos de carbono ou gorduras. Aprendi a ler os rótulos e a saber fazer escolhas no dia-a-dia, as escolhas saudáveis, até porque as preocupações com a alimentação são definitivamente necessários, mas tudo o que é um comportamento obsessivo, é obviamente, prejudicial. Gosto obviamente de uma boa salada mas também gosto de um bom doce de vez em quando e não vou estar passar uma imagem de algo que não sou, só porque "é o mais correcto e está na moda ser saudável". As opções biológicas, a diminuição dos açúcares na nossa alimentação e com as comidas processadas são obviamente coisas que todas devemos fazer, mas o que está e deverá estar sempre presente é um estilo de vida equilibrado, saudável e acima de tudo, feliz. 


 


Na verdade o que é este conceito de ortorexia? Pois bem, já foi diagnosticado como um disturbio alimentar ao nivel da anorexia ou da bulimia, as pessoas que sofrem de ortorexia acabam por se privar de uma série de coisas boas, não saindo nunca das regras da sua dieta e seguindo sempre uma dieta restrititva, estão constantemente preocupadas com as qualidades nutricionais de todos os alimentos que ingerem, em constante julgamento com o que as outras pessoas comem e o estilo de vida dos outros, têm ainda uma preocupação excessiva com o que comeram ou que vão comer nas refeições seguintes, são incapazes de comer fora de casa ou comer algo que não foi preparado por elas mesmas entre muitos outros sintomas.


 


Esta conversa surigiu precisamente por causa dessa tal reportagem que a SIC transmitiu a alertar precisamente para os perigos da obsessão com a vida saudável, a verdade é que quando estamos a ser reeducadas a comer, esta preocupação tem de existir, no entanto é uma aprendizagem e sabemos que não devemos nunca levar as coisas aos extremos. E se queremos aprender a saber comer e a termos uma vida saudável, continuo a dizer que é MUITO importante sermos seguidas por um nutricionista. Há dietas e planos que funcionam connosco mas que não funcionam com outras pessoas e por isso mesmo, há que aprender a saber comer, consoante as necessidades de cada uma de nós. Continuo a afirmar que o equilibrio é a palavra-chave. Quando defendo que devemos ser saudáveis e que devemos optar por um estilo de vida saudável, defendo-o porque sei o impacto que isso teve na minha vida e o bom que me trouxe, mas também sei que há dietas que não funcionam comigo e que funcionam com outras pessoas e daí a importância do acompanhamento de um especialista na matéria. Nada de sermos radicalistas com “deixei de comer açúcares”, “não como hidratos de carbono” entre muitas outras afirmações que vamos ouvindo por aí. A verdade é que temos sim de ter uma preocupação com a nossa alimentação, mas não vamos deixar que isso nos consoma de tal maneira a que sejamos levadas à obsessão. Equilibrar, equilibrar acima de tudo.


 


__


ph. Mazzeup



 



The way food was meant to be!

Já há algum tempo que ando para vos falar neste novo estilo de vida baseado em "real food". Desde Setembro que a dieta do paleolítico tem despertado o meu interesse, e a culpa de tudo isto é do meu pai que se aventurou por estas andanças e pegou esta febre a todos cá em casa. Depois de fazermos análises médicas e de consultarmos vários especialistas e de pesquisarmos sobre o assunto, decidimos experimentar um estilo de vida que se baseia em legumes, vegetais, carne, peixe, marisco, leguminosas, fruta, chocolate preto, frutos secos e gorduras naturais. No fundo uma espécie de dieta do paleolítico mas adaptada aos dias de hoje: incluímos lacticínios sem lactose e alguns cereais como aveia por exemplo. 

Encontrei um programa de televisão que está a passar no 24h Kitchen que explica muito melhor esta filosofia, The Paleo Way by Pete Evans. Basicamente acaba por ser a utilização dos melhores alimentos dos nossos antepassados misturadas com as melhores coisas do século XXI. Baseia-se então numa dieta saudável sem alimentos processadas, à base de legumes e vegetais verdes e sem pesticidas, frutos secos, carnes biológicas, peixe e marisco, frutas sem adubos ou químicos e tudo isto associado sempre com desporto e com um objectivo: uma vida mais feliz e mais saudável. 

A verdade é que as diferenças são notórias e há cada vez mais adeptos deste estilo de vida precisamente por todos os benefícios que trazem ao nosso corpo e à nossa mente - sentimo-nos melhores, com mais energia, mais produtivos e mais concentrados, mais saudáveis e dormimos melhor. Por cá, o nutricionista André Matias é quem nos tem estado a acompanhar e é certo que de vez em quando lá fazemos uma asneira ou outra, até porque não somos de ferro e sabe sempre bem sair da linha de vez em quando, mas a verdade é que este estilo de vida tem-me mudado bastante e tenho gostado dos resultados. Os exames médicos comprovam tudo isto, pelo menos os nossos aqui por casa e sem dúvida que tem sido muito benéfico para a nossa saúde também. 

Posso dar-vos um exemplo, um exemplo de um alimento que consumimos todos os dias: trigo! Seja ele integral ou não, todos nós consumimos diariamente em vários momentos do dia - pão, cereais, bolos, massas... O Dr. William Davis tratou ao longo de anos milhares de doentes com diabetes elevado, colesterol altíssimo ou excesso de peso e encontrou algo comum em todos eles: uma dieta com excesso de trigo. Ao que parece duas fatias de pão de trigo aumentam os níveis de glicémia muito mais do que duas de colher de sopa de açúcar de cana e isto tudo porque o cereal que mais comemos todos os dias tem sido geneticamente modificado ao longo das últimas 5 décadas, o suficiente para que este se tornasse prejudicial à nossa saúde. 

Claro que, como todas as ciências, há várias teorias sobre este ou outro estilo de vida, até porque a nutrição de hoje em dia está muito avançada e precisamente por isso é que juntamos os melhores alimentos de outrora com os de hoje em dia. Isto tudo para vos falar em redução de peso para quem quer perder peso de forma saudável, sem passar fome e sem deixar de comer ou redução de cm que é o meu caso que até hoje já perdi 5cm só com alguns ajustes na minha alimentação. Vamos ganhar mais massa muscular, diminuir a gordura acumulada no nosso corpo: "let medicine be your food, let your food be your medicine"

O que é mais divertido nisto tudo? É que podemos comer tudo o que comemos no dia-a-dia, mas substituindo por alimentos reais: sobremesas, pastas... O século XXI e a ciência trouxe isso de bom, podermos substituir as coisas mais prejudiciais por alimentos mais saudáveis, sem deixarmos de comer o que mais gostamos. E sim, podemos incluir pão ou massas no nosso dia-a-dia, só temos de fazer uns pequenos ajustes. 

Para quem se interessar podem sempre ler mais sobre o Paleo Way aqui, optar por comprar livros como o Cérebro de Farinha de David Perlmutter ou o Sem Trigo Sem Barriga de William Davis que vos vão ajudar a perceber um pouco mais sobre este estilo de vida que se baseia em comer comida real. Podem ainda ver alguns blogs de receitas como o Deliciously Ella ou o The Healthy Foodie

Este é um post que tem sido muito muito pedido. As leitoras que acompanham o blog desde o início acompanharam esta minha mudança, foram 25kg/26kg desde 2010 até 2012/2013. Não foi tarefa fácil e não houve qualquer tipo de intervenção cirúrgica, comprimidos milagrosos ou terapias, foi tudo uma questão de força de vontade, mudança de estilo de vida e duas consultas de nutricionista.

Para já começo por vos dizer que não existem comprimidos milagrosos, o milagre está em cada uma de nós, resta-nos mudar os nossos hábitos de vida, a nossa alimentação e a forma como encaramos o dia-a-dia, a comida e a nossa vida. Se querem viver por muitos mais anos, é o estilo de vida e a alimentação que têm de mudar, tudo começa por aí. Era muito gulosa, aliás, ainda sou confesso, mas sou gulosa por chocolates, não ligo a bolos nem a outro tipo de doces, o chocolate dá cabo de mim e faz com que trepa às paredes de tão bom que é (uma tablete Nestlé ou Milka, yummmmm). Sempre fui muito preguiçosa no que toca ao exercício físico e a minha alimentação não era a melhor, comia fritos, fast food, pipocas, chocolates de 300gr todos os dias (sim TODOS OS DIAS) e não mexia um dedo, preferia sempre escadas rolantes às escadas tradicionais, o elevador era o melhor amigo e bebia Coca-Cola como hoje em dia bebo água. 

Mudou muita coisa e aprendi a comer, aprendi a conjugar alimentos e aprendi a gostar de salada, de legumes e de vegetais (hoje em dia vivo à base de comida vegetariana e cortei nas carnes vermelhas). E esta mudança porquê? Primeiro porque com a doença que a minha mãe teve, mudámos todos a alimentação cá em casa, carnes vermelhas então não toco há 4 anos (sim sim, um bom bife de vaca por exemplo, um hamburguer.. nada disso), depois porque tinha mesmo de ser, tinha 19 anos e não mexia o rabo, subir 3 escadas deixava-me KO e o meu pai alertou-me para o meu peso. Comecei a ganhar força de vontade aos poucos, a motivação foi aparecendo à medida que ia perdendo peso. 

Comecei a frequentar o ginásio e perceber o quanto me custava perder o equivalente a uma Coca-Cola ou a um Hamburguer do McDonald's. Comecei a trocar os refrigerantes por água e aos poucos fui-me habituando a beber cerca de 2 a 3l de água por dia - o truque é andar sempre com o cantil atrás para nos lembrarmos que temos de o acabar e de voltar a encher. Fui a um nutricionista que me ensinou a comer, que me pesou e que me disse qual o meu peso ideal, o que devia fazer para lá chegar e sem qualquer tipo de comprimidos, mudando apenas a minha alimentação. Passei a comer de 3h em 3h no máximo, pequenas quantidades de comida para evitar a fome e a verdade é que nunca a senti. No início achava que ia ingerir imensas calorias e que não ia dar resultado, no entanto o nutricionista estava certo e a prova disso estava na balança, semana após semana. 

A motivação foi aparecendo através desses números na balança e na cintura (sim, todas as semanas media a zona abdominal para perceber também que estava a perder gordura abdominal). Não há dietas milagrosas, é mesmo uma mudança de estilo de vida, a motivação tem de aparecer aos poucos e nada melhor do que termos uma amiga que nos apoie e nos lembre sempre porque estamos a fazer aquilo. Se estão a fazer ou a pensar em fazer dieta, pensem sempre que é por vocês e pela vossa saúde.

Hoje em dia como chocolates, como lascas (que amo de paixão), como pizzas, mas sempre com moderação e aprendi que posso comer tudo isto, não preciso de comer 300gr de chocolate num dia, nem preciso de comer 3kg de lascas à refeição ou uma pizza cheia de gorduras. Aprendi a juntar os vegetais na minha refeição, a cumprir sempre a regra da salada ou dos legumes em todas as refeições e à noite como sempre um prato de sopa e fruta. De manhã, ninguém me tira os meus Corn Flakes, adoro e tomo com leite ou com iogurte, às vezes junto fruta natural ou um sumo. Não se esqueçam ainda de que as proteínas são muito importantes e apesar de pratos vegetarianos, temos de ir buscar as proteínas da carne ou do peixe a algum lado. Outra coisa que me fez emagrecer, foi aprender a gerir as doses, especialmente de hidratos de carbono.

Hoje em dia mantenho-me em forma, aposto imenso no Holmes Place, adoro frequentar o ginásio, especialmente as aulas de grupo que são sempre divertidas e há ainda a possibilidade de sermos acompanhadas por um nutricionista. Como um pouco de tudo, sei que o Holmes Place me ajuda depois a queimar essas calorias, há dias que cometo extravagâncias, mas sem nos deliciarmos com pequenas coisas de vez em quando, a vida não tinha graça, certo? Além do mais, muitas de vocês me perguntam como é que me mantenho motivada.. é fácil, são os nossos objectivos e é algo que temos de lutar para conseguirmos. Escolhi ter uma vida mais saudável, encontrei ainda o sítio ideal para o manter e para continuar a manter-me sempre motivada no ginásio. É aprender a viver e a mudarmos os nossos hábitos, é mais fácil do que pensam, acreditem.

O resto vem por acrescento, estamos em constante aprendizagem, mudei os meus hábitos alimentares e o meu estilo de vida e não me arrependo de nada. Nos primeiros tempos é complicado sim, mas depois acabamos por assimilar tudo e adoptarmos um estilo de vida diferente. A motivação ganha-se, cada dia é uma vitória, cada escolha que fazemos e é a isso que nos temos de agarrar para conseguirmos seguir em frente.

Não falo muito no plano que o nutricionista me passou porque é algo que é adaptado a cada uma de nós, na consulta ele vai querer saber como é o vosso dia-a-dia, do que gostam de comer e do que não gostam e traçar-vos um plano onde não deixam de comer o que gostam, apenas mais moderadamente e aprendem a saber comer. Hoje estou muito contente com o peso que tenho e com o corpo que tenho, sinto-me mais saudável e acima de tudo melhor de saúde. Força nisso, inspirem-se! No que puder ajudar, estou aqui!
Acho que nunca se falou tanto num estilo de vida saudável como hoje em dia, desde a alimentação, ao exercício físico e aos hábitos de consumo. E ainda bem! Para quem me segue desde o início sabe que passei por um processo de mudança de estilo de vida radical mudando completamente os meus hábitos alimentares e o meu estilo de vida que com ajuda de um nutricionista, alimentação certa e exercício físico, fez com que conseguisse eliminar quase 25kg. Mas muito mais do que os kg, eliminei um estilo de vida que me fazia mal e prejudicava a minha saúde – fast food a toda a hora, refrigerantes, açúcares, emotional eating etc.





Sobre esse processo, já falei várias vezes aqui. O que me traz hoje a escrever sobre o tema vem como consequência da reportagem que a SIC transmitiu sobre a alimentação vegetariana e com a qual me identifico muito. Estes últimos anos tenho vindo a deixar por completo a carne, passando a comer apenas peixe e no último mês tenho feito uma alimentação praticamente vegetariana, sendo o objectivo será sim tornar-me vegetariana a longo prazo. Isto não só por uma questão de “dietas” ou modas, mas sim por ser o tipo de alimentação com a qual me identifico cada vez mais. Quando iniciei o processo de mudança de estilo de vida cortei por completo as carnes vermelhas, o que faz com que não coma carne vermelha há quase 10 anos. No meu caso, esta mudança deveu-se ao facto do meu organismo não conseguir digerir este tipo de carnes e por isso, cortei por completo. Com o passar do tempo, comecei a explorar algumas receitas 100% vegetarianas e agora posso dizer-vos que a minha alimentação é 90% baseada em fruta, vegetais, legumes e ovos. Os outros 10% incluem peixe ou muito raramente, carnes brancas.  Comecei a perceber que havia certos alimentos que o meu organismo não conseguia digerir ou responder tão bem e com a ajuda de uma nutricionista fui cortando aos poucos e substituindo por outro tipo de alimentos com os mesmos nutrientes.




Não quero com isto dizer que sou apologista de uma dieta vegetariana ou que devemos todos seguir o mesmo, até porque cada organismo é único e cada corpo tem necessidades diferentes. Aliás, é importante encontrar o equilibrio, tal como menciono aqui. No entanto, queria deixar-vos o meu testemunho de alguém que era a “louca dos bifes com batatas fritas, da fast food e dos refrigerantes” e que ao longo deste tempo aprendeu a ouvir o seu corpo e hoje em dia não sinto falta de nada disso. Aprendi a ouvir os sinais que o meu corpo me ia dando, perceber o que me fazia mal e a tentar encontrar soluções e outras alternativas e hoje em dia temos tantas igualmente deliciosas. E confesso que tem sido um desafio super giro, procurar alternativas, testar novas combinações e estar mais atenta a rótulos e pesquisar mais sobre os alimentos.

Tenho partilhado algumas das minhas receitas no instagram stories e têm-me pedido bastante para partilhar mais opções e por isso vou passar a partilhar algumas das receitas que vou inventando e testando para que possam também começar a experimentar opções vegetarianas na vossa alimentação.

__
ph via the coveteur



Estes últimos dois meses aqui em casa têm sido uma confusão que diz respeito à alimentação,  uns jantam ovos mexidos, outros jantam sopa, outros jantam torradas e outros jantam bolonhesa... As mudanças começaram primeiro com o meu pai... agora a minha mãe e eu sou a seguir. Digamos que o meu pai foi a cobaia de um novo estilo de vida (ainda) mais saudável que se baseia em comermos melhor: olhar mais para os nutrientes e menos para as calorias. 

Reparámos que andávamos a ingerir pouca proteína (tanto animal como vegetal) e andávamos a viver à base de uma alimentação pobre em nutrientes, Ando a ler muito sobre este assunto, quem nos conhece sabe que desde o cancro da minha mãe que mudámos completamente a nossa alimentação e os nossos hábitos e agora, queremos caminhar sempre para o melhor possível e tratar da nossa saúde em primeiro lugar.

Como? Comendo alimentos biológicos, fugindo dos alimentos processados, do glúten e de todos os açúcares refinados e escondidos que encontramos no nosso dia-a-dia. O que quero então dizer com isto, que me vou mudar para uma quinta no Alentejo, colher e comer apenas o que vou cultivar? Seria o ideal, mas não. Com o acompanhamento de um nutricionista, estamos a adoptar um estilo de vida que se baseia muito na ingestão de proteínas e de hidratos de carbono bons, a ideia é, numa fase inicial desintoxicar o corpo dos quilos e quilos de cereais e açúcares refinados e escondidos que aqui estão dentro e começar a saber comer melhor e a ingerir mais nutrientes. 

"Mas não precisas de emagrecer mais..." dizem vocês. Pois é, mas não vamos falar de emagrecimento, até porque não vamos ver o número a baixar na balança, mas sim as calças a alargar porque o que vamos fazer é desinchar, "secar". Confesso que NUNCA nesta vida diria que ovos ou restos do jantar ao pequeno-almoço seriam uma opção saudável, mas a verdade é que cada vez mais há estudos e resultados comprovados disto mesmo (claro, sempre dentro de um plano com uma lógica, restrições e alimentos de sinal "verde"). 

Então no fundo no que consiste este novo estilo de vida? Bem, de novo não tem nada porque é um update da dieta que os Paleolíticos faziam há milhões de anos atrás para os dias de hoje. Não é a dieta do Paleolítico à risca, mas tem alguns fundamentos na forma de como se alimentavam adaptada aos dias de hoje e que tem tido cada vez mais adeptos. Vamos dar-lhe um nome fancy, estilo Paleochic. Prometo ir dando updates da Paleochic, assim já sabem que sempre que virem um post por aqui chamado de Diário de uma Paleochic, sabem ao que me refiro. 

O que é que me despertou nesta dieta sem glúten e sem lactose e com mais proteínas? Bem, em primeiro lugar os resultados NOTÁVEIS no meu pai, MESMO - está a ficar com um six pack invejável e não é exagero! Depois o facto de ter andado a ler e pesquisar sobre o assunto e realmente fazer todo o sentido o que é dito pelo nutricionista. Se pensarmos bens, todos os alimentos de hoje são processados, ou quase todos. Há açúcares escondidos e mesmo os produtos rotulados de "light" ou "magros" acabam por ser traiçoeiros, e como nem todos temos tempo para ler os rótulos e perceber onde estão estas substâncias maléficas escondidas, pode ser uma opção

Contudo, também é certo que consegui emagrecer à base dos produtos light e da mudança da minha alimentação. Volto a reforçar que se querem emagrecer ou adoptar um estilo de vida mais saudável é SEMPRE com acompanhamento de um nutricionista e quando digo acompanhamento é marcação de consultas, não se metam a comprar livros desta e daquela dieta que promete perder 10kg num mês, podem fazê-lo sim, mas depois de perceberem qual a lógica da vossa dieta e da vossa nova alimentação. Questionem o nutricionista, perguntem-lhe o porquê de não puderem misturar arroz com ervilhas ou massa com milho. Sejam curiosos, foi isso que me fez entrar por este mundo da alimentação e querer saber mais de como se deve comer e o que comer.

Há que saber ouvir e ler os sinais do nosso corpo, porque sim, ele dá sinais. Por exemplo, quando voltei de NYC vinha inchada até ao nariz, não só devido ao voo, mas também devido ao calor e à alimentação que tive por lá e nessa semana percebi que o meu corpo estava mesmo a pedir ajuda, e segui a dieta que me tinha sido traçada. Há que saber tratar do nosso corpo e os alimentos curam mesmo. Agora que quero perder estas gorduras acumuladas que não vão embora por nada deste mundo, fiquei com curiosidade em experimentar. Só tenho consulta daqui a dois meses (foi o mais cedo que se conseguiu), até lá vou lendo umas teorias, uns livros sobre o assunto e vendo umas palestras dos nutricionistas adeptos deste estilo de vida, bem como ouvindo aquilo que se vai dizendo aqui por casa, no fundo as informações que são transmitidas nas consultas e vou aprendendo. 

Se vou conseguir? Não sei, isto de deixar os cereais e os iogurtes vai-me custar muito! Se vou questionar muito o nutricionista na minha consulta? É provável, até porque quem me conhece, sabe que sou assim.. curiosa! Nem sei se poderei fazer esta dieta ou não, todas as dietas têm as suas restrições, esta normalmente como envolve muita proteína pode fazer mal ao fígado por isso há que fazer exames médicos e perceber qual o melhor plano para eliminar estas gordurinhas para além das idas aos ginásio. Não custa investigar, para já ando a apalpar terreno, vou dando notícias... e despedindo-me aos poucos de alguns hidratos de carbono a mais na dieta (hello sashimi, bye bye temakis)

Já há algum tempo que queria escrever sobre este assunto, hoje, dia 17, ganhei "coragem" e decidi fazê-lo porque este blog apesar de ser muito "cor-de-rosa" é também um cantinho onde partilho um pouco mais de mim, da minha experiência, das coisas que me preocupam.Todas nós tivemos oportunidade de conhecer a história mediática da Nonô, da princesa côderosa que tocou tanta gente, a Nonô foi uma guerreira, uma princesa que lutou contra aquela que é a doença do século se é que assim se pode dizer. 

De facto é uma doença que assusta, que impõe respeito e que nos faz parar para pensar em como a vida pode mudar literalmente do dia para a noite. Quem já passou por isso bem de perto sabe bem que é verdade. A minha mãe teve, o pai da minha melhor amiga também, a madrinha do meu irmão, a minha avó, a minha tia... Infelizmente o cancro é uma doença com a qual sempre vivi bem de perto e com a qual fico sempre sensibilizada. 

Na verdade a minha vida mudou quando a minha mãe soube o diagnóstico, mudámos a alimentação e o estilo de vida, cortámos com muitas coisas e optámos por um estilo de vida mais saudável. Foi uma altura complicada, há imagens que me ficam guardadas e de facto, hoje que tenho mais consciência ela foi uma lutadora. Ela é uma rainha, o meu pai é um herói por ter estado sempre do lado dela e não há maior prova de amor do que essa. 

Para quem acompanha o blog desde o início, pode acompanhar por vezes, em alguns posts falar da minha tia-avó. A "titi" como costumava chamar, ou a "madame" como a minha avó lhe chamava era sem dúvida uma das melhores pessoas que conheci, lutou muito e conseguiu subir muito na vida, passou por muitas dificuldades, foi a irmã mais velha de 12 irmãos, cuidou da minha avó e foi como uma segunda avó para mim. Sempre cresci com ela e com a minha avó, verões em Cannes, fins-de-semana no Estoril, ia-me buscar a mim e ao meu irmão à escola com a minha avó. Era super bem disposta, mega teimosa (herdei um pouco isso dela), apaixonada pela moda (também deixou o bichinho dentro de mim), abriu uma loja de moda no Chiado, em Cascais, em Madrid, apaixonada pelas coisas boas da vida, honesta, generosa, ajudava sempre os mais desfavorecidos e sempre nos incutiu esse valor - falar da vida dela dava uma série de televisão. Fazia-nos soltar gargalhadas, conseguia sempre tudo o que queria, aprendi muita coisa com ela, era uma pessoa muito frontal, sempre honesta, sempre dona do seu nariz.

Era teimosa, ao ponto de ter vivido até aos 97 anos, ter conduzido até aos 96 e ter combatido esta doença até ao último minuto. Foi o caso de cancro mais devastador que conheci de perto, infelizmente era o principal medo dela. Foi há 3 anos, foi-lhe diagnosticado no pâncreas, já com estado avançado. Lembro-me de quando soube desta notícia ter chorado imenso e ter-me perguntado "porque é que as coisas más só acontecem às pessoas boas", infelizmente não havia grande coisa que pudéssemos fazer. Fomos vê-la ao hospital, depois foi para casa, onde pediu para ficar. O impacto que teve em mim foi devastador, diagnosticaram o cancro no início da semana, a cada dia que passava ia perdendo funções vitais, a visão, a fala, a mobilidade, o paladar, o olfacto... a audição foi o último sentido a perder, lembro-me de no dia antes de ter partido a ter ido visitar, e a minha mãe lhe perguntar se ela sabia quem estava ali com ela, eu falei com ela e ela sorriu. Depois de algum tempo, saí, fiquei a espreitar pela porta entreaberta e a pensar em como cresci com ela, como a admirava e admiro, até hoje. A cama que vêm nas fotografias que tiro, é dela (aqui), não há melhor e maior homenagem que lhe possa fazer. 

Hoje, espero que esteja, onde ela sempre quis estar - não, não é no céu. A Madame dizia que o céu era demasiado enfadonho, que preferia ir para o inferno que ao menos era mais divertido. Tenho saudades tuas, temos todos. Muitas. 

Tenho muito respeito, admiro muito a coragem de todos que passam por isto, a Vera, uma amiga de quem gosto bastante também criou uma página no facebook (aqui) e que transforma o cancro em vida, esteve a falar na TVI (aqui) sobre a sua vida depois do cancro e sei que vai vencer, pelo menos para mim, já venceu em enfrentar esta doença da forma que encara. Agarrar cada dia como se fosse o último, é essa a mensagem que a Nonô, a minha tia, a Verinha e a minha mãe me passam todos os dias.


Já são quase 5 anos de blog e quem me acompanha desde o início acompanhou uma mudança brutal na minha vida, basicamente a perda dos 25kg que já aqui mencionei várias vezes. É um dos assuntos que mais me pedem para falar e para partilhar convosco, no entanto, antes de emagrecer é preciso um caminho muito complexo que é o que vai determinar se realmente vão ou não conseguir perder peso e chegar ao fim neste loooongo desafio.

Perdi os 25kg porque não era saudável, a minha alimentação e o meu estilo de vida eram os mais desleixados e só comia coisas que não devia. Tinha uma alimentação péssima, mega preguiçosa para mexer o rabo e a força de vontade era zero, afinal de contas era feliz com uma tablete de 300gr de chocolate. (tenho 1.60m e pesava 74kg)

Agora sou feliz com um quadrado de chocolate de preto, com legumes, com pratos vegetarianos e com proteínas vegetais. Não meto de lado o que mais gosto, não elimino o sushi ou a comida italiana, até porque só vivemos uma vez e há imenso prazer no que toca à comida e à alimentação. Antes de decidirmos que queremos emagrecer e cobiçarmos aqueles corpos maravilhosos que vemos nas revistas, no cinema etc, temos um longo caminho. Não vamos certamente ter aquele corpo de uma modelo da Victoria'Secret, vão haver estrias, gorduras localizadas e muito trabalho para fazer e não é a "fechar a boca" que vamos conseguir perder peso.

Na altura que comecei a pensar em emagrecer, percebi que precisava mesmo de mudar, havia sinais que me diziam isso - subir 4 degraus e ficava a cair para o lado, não me mexia para nada, comia chocolates e bebia coca-cola como hoje bebo água. No fundo, se estão a pensar em emagrecer têm de aprender a comer, aprender a mudar a vossa mentalidade e o vosso estilo de vida. Claro que era bom sermos como aquela nossa amiga que come 3 vezes por semana no McDonalds e engorda 5gramas, mas nem sempre é assim e não é saudável. Há que aprender a fazermos escolhas e na altura que visitei um nutricionista aprendi muita coisa, agora que estou no Holmes Place tenho também um acompanhamento de um nutricionista a quem peço alguns conselhos e com quem troco algumas ideias. 

Aprender a comer passa por saber fazer escolhas. Se queremos comer uma pizza por exemplo, porque não pedir uma pizza com mais vegetais e legumes do que outros ingredientes? Ou se quiserem muito comer uma pizza cheia de cogumelos, fiambre e queijo, dividam-na com uma amiga e peçam uma salada, assim comem metade de uma pizza e metade de uma salada por exemplo. Gostam de refrigerantes, escolham um dia por semana para o beber, o menos possivel porque estão cheios de açucares ou saibam quando é que o devem beber - há dias em que precisamos de açucar e o nosso corpo pede por isso, e se querem muito uma Coca-Cola, aproveitem esse momento.

Nas idas ao sushi, optar por mais peças de sashimi do que as peças que contêm muito arroz, os hidratos de carbono em excesso engordam, mas são essenciais à nossa dieta. O fundamental na vossa dieta e no vosso dia-a-dia (seja o dia da asneirada ou não): muita fruta, legumes (sopa sempre que possivel quando não há salada ou vice-versa), exercicio fisico e muita, MUITA água ao longo de todo o dia. 

Mas porque é que é tão dificil emagrecer? Porque temos de mudar um pouco quem somos e diz-se que as pessoas não mudam não é? Pensem antes de tomarem a decisão, o quanto querem isto e o quanto precisam de adoptar um estilo de vida mais saudável. Até podem estar no vosso peso saudável, mas se tiverem uma alimentação pobre, vão ter problemas de saúde mais tarde. O que importa aqui não são os kg que vamos perder na balança, mas sim saber comer e lutar por um estilo de vida mais saudável e vão ver que aquilo que comemos, define quem somos.


Lauren and Khloe-7.jpg


 


Quem acompanha a saga das Kardashians já reparou certamente na mundança radical de Khloé Kardashian. Sigo-a nas redes sociais como o instagram e o snapchat e confesso que fiquei curiosa precisamente por ter sido uma mudança que foi notória. Pus-me a pesquisar e de facto encontrei alguns artigos que falavam do novo estilo de vida da Khloé, das idas ao ginásio, da nova forma de encarar a vida e a sua nova alimentação. Durante essa minha pesquisa fiquei com vontade de ler um pouco mais sobre o assunto e decidi comprar o livro que lançou Strong, Looks Better Naked. Por cá não o vi à venda e como costumo comprar a maioria dos livros pela Amazon.Uk decidi encomendar. Fala precisamente de tudo isto, o livro está dividido em três partes, a primeira dedicada ao corpo onde fala da sua perda de peso, dos seus treinos e acaba por dar algumas dicas para quem está a ter dificuldades em encarar o peso que tem, e fala também da sua nova alimentação, o que costuma comer e o que deixou de parte. A segunda parte do livro é dedicada à mente, fala muito da parte psicologica, das motivações para nos levantarmos da cama todos os dias, de nos rodearmos das pessoas certas, afastarmos as pessoas que nos fazem mal e que nos trazem más energias, de sabermos perdoar e de darmos segundas oportunidades e de acima de tudo nos sentirmos bem connosco próprias. A última parte do livro foi chamada de "heart" e aqui a Khloé fala um pouco da Caitlyn, do futuro, da compaixão e do carinho com os outros. 


 



superline


 Confesso que ainda não o li todo, mas estou a gostar muito e identifico-me com muitas coisas que estão escritas no livro, principalmente quando nos fala da importância de querermos mudar por nós e querermos mudar para nos sentirmos bem e saudáveis, sem pressões de mais ninguém. A parte associada Às más energias é outra muito importante e que todas devíamos ler, sabemos que vamos estar sempre rodeadas por pessoas que nos querem menos bem e que atraem pensamentos menos bons e temos de aprender a saber lidar com isso e rodearmo-nos das pessoas certas.


 


Lauren and Khloe.jpg


 


O nutricionista da Khloé, Dr.Philip Goglia, também tem a sua palavra no livro e fala um pouco da dieta da Khloé e do novo estilo de vida. O Dr.Philip Goglia é o nutricionista não só da Khloé Kardashian, mas também da Kate Upton, da Cara Delevingne e da Kim Kardashian, que apareceu visivelmente mais magra nesta edição da MET Gala. Para além da Khloé, quem segue o clá Kardashian nas redes sociais pode acompanhar que a Kourtney, desde o divórcio com o Scott mudou o estilo de vida e também emagreceu bastante. Será que estão todas a seguir os passos da Khloé?


 


Claro que tudo isto deve ser adaptado às necessidades de cada uma e cada caso é um caso, contudo, o Dr.Philip Goglia revelou à revista People alguns pontos da alimentação que defende e que é seguida pelas irmãs Kardashian:


 


// nada de laticínios
segundo o nutricionista, os lacticinios afectam a digestão, provocam inchaço e gases que promovem a inflamação e afetam a utilização de oxigénio. Tanto a Kim como a Khloé cortaram com os lacticínios da sua alimentação.

// sem glúten 
hoje em dia a dieta sem glúten é cada vez mais seguida por muitas celebridades, o que implica cortar com tudo o que possa conter trigo, cevada, centeio. Contudo hoje em dia há sempre outras opções e substitutos para que facilite este processo e podemos encontrar cada vez mais receitas para este estilo de vida, o livro da Deliciously Ella é perfeito para isso mesmo.


 


// mais proteína à noite
o nutricionista defende que a última refeição do dia deve ser a mais proteica, isto porque é quando o nosso corpo consegue repousar e vai reparar o nosso tecido muscular, como não vamos correr ou praticar exercicio físico depois de jantar, não precisamos da energia de uma batata, arroz ou de massa e por isso devemos apostar em refeições ricas em proteínas como carne ou peixe. A sugestão é um peito de frango grelhado com salada por exemplo, uma das opções que a Khloé partilhou.



// água, muita


todas nós sabemos a importância que a água tem, para além de ajudar a eliminar toxinas, ajuda no metabolismo, hidrata a pele... enfim! Só coisas boas.


superline


Se antes as viamos a comer fast food com muita frequência, hoje em dia a alimentação da Khloé mudou muito, é algo que deve ser feito pouco a pouco e são pequenas mudanças que podemos ir fazendo ao longo do tempo. Ao longo do livro partilha também algumas receitas que costuma fazer e alguns dos seus pratos favoritos e que podemos facilmente fazer em casa. Por exemplo, para o pequeno-almoço, a Khloé opta por ovos ou por papas de aveia. Como snacks a meio da manhã, uma peça de fruta e frutos secos ou uma maçã com um pouco de manteiga de amendoim (yummy!). Para o almoço, uma salada com frango grelhado, no livro até refere a Chinese Chicken Salad. Como lanche da tarde podem optar por peças de fruta e frutos secos, tal como o snack do meio da manhã ou por homemade hummus com vegetais crus, como palitos de cenoura, por exemplo. Outra coisa de que fala muito é de águas frutadas como água com limão por exemplo ou de infusões que vai bebendo muito ao longo do dia para a manter saciada e que são deliciosas principalmente no verão, sabem super bem se forem frescas. Para o jantar, a Khloé opta sempre por peixe acompanhado de legumes a vapor.  



 

AuraBotanica-9.jpg


 


Muito se tem falado sobre um estilo de vida mais sustentável, com escolhas mais conscientes. Estamos cada vez mais atentas a este virar de ciclo e confesso que dou por mim a começar a introduzir algumas coisas no meu dia-a-dia e nas minhas rotinas. 


 

A verdade é que acabam por ser escolhas que, hoje em dia vão para além da alimentação.

Há cada vez mais marcas atentas a este despertar consciente e que acabam por nos envolver

e puxar também para querermos saber mais.

 

Como o caso de Kerastase por exemplo, que lançou a sua linha Aura Botanica feita com 98% de ingredientes naturais*, alguns deles que tão bem conhecemos e cheios de benefícios, como o óleo de argão e o óleo de côco de Samoa. 

 

 

 


AuraBotanica-10.jpg

 

Precisamente por causa de todos os mitos que existem em torno de produtos de beleza naturais, achamos sempre que não limpam ou cuidam do cabelo por não fazer espuma ou que não fica tão bonito porque não tem aqueles cosméticos todos a que estamos habituadas. Pois bem, no caso de Aura Botanica decidi experimentar precisamente por estar a querer reduzir alguns químicos do meu estilo de vida e na verdade, só tenho a dizer maravilhas da gama.  

 

Na alimentação já tenho a sorte de poder consumir legumes, frutas e ovos biológicos que os pais do Manel nos vão dando e a verdade é que fazem toda a diferença. Aos poucos começamos a entrar neste estilo de vida, e cada vez mais me vou interessando e vou lendo sobre o assunto. Não querendo nunca entrar em casos extremistas, sempre tudo com um equilibrio, mas em tudo o que conseguirmos melhorar e reduzir, ajudando o ambiente e a melhor o estilo e qualidade de vida, melhor, certo? 

 

A gama de Aura Botanica é constituída por um Bain Micelar, que limpa em profundidade o cabelo, removendo mesmo todas as impurezas e deixando-o completamente "nu". Tal como a água micelar faz com a nossa pele, a função do Bain Micelar é a mesma no cabelo. De seguida aplicamos o Soin, que vai nutrir o cabelo de hidratar e ao qual podemos adicionar 2 a 3 pumps do Concentré Essentiel, uma espécie de serum que vai nutrir as pontas do cabelo em profundidade. No fim, a bruma bifásica para pulverizarmos após o brushing e que dá o acabamento final. O que vamos sentir no cabelo? Vai ficar com um aspecto super natural. Ao usarem o Bain, vão realmente sentir que o cabelo fica super limpo, sentem a sensação do cabelo a "chiar" quando passam as mãos, por isso é importante que o ritual seja feito num todo, completado com o Soin, o Concentré e a Bruma final. O cabelo fica super solto e brilhante. Aprovado!

 

Podem encontrar à venda em salões de cabeleireiro que vendem Kérastase como na Isabel Queiroz do Vale, no Estoril ou na Lúcia Piloto por exemplo. 

 


 

Não por querermos emagrecer, não porque "está na moda" mas sim porque é algo que devemos fazer por nós, pela nossa saúde e pelo nosso corpo. Muito se tem falado no healthy living nos últimos tempo, tanto que se tem tornado numa moda. Mas o que é certo é que as modas são passageiras e é necessário encararmos e introduzirmos este conceito na nossa rotina, mesmo quando "estiver fora de moda".  Viver melhor e ter um estilo de vida saudável é cada vez mais importante, até porque todos os dias estamos sujeitos a factores externos que nos fazem mal e que nos intoxicam: poluição, stress, noites mal dormidas etc. 


 


home-4.jpg


 


Por isso mesmo, no meio de toda esta confusão que nem sempre conseguimos controlar, há que tentar ter um estilo de vida mais saudável e ter algumas rotinas mais regradas e que tentem equilibrar o resto do dia. Hoje partilho convosco 6 hábitos que me ajudam a equilibrar as minhas rotinas.


 


 



1 # água e chá


Sempre! Todos os dias a primeira coisa que faço em jejum é beber um copo de água morna com sumo de meio limão que ajuda a equilibrar o organismo e eliminar toxinas (mais benefícios a saber aqui). Assim que chego ao escritório é indispensável: chá! Começo sempre o meu dia com cerca de meio litro de chá verde ou chá de três canelas (ando viciada no da Pukka). Há quem não consiga "arrancar" o seu dia sem café, comigo funciona assim mas com chá. Last but not least, bebo sempre 2 a 2,5litros de água por dia. Muito importante para o nosso organismo, para "eliminar" fome falsa e para nos ajudar a desintoxicar o organismo. 


 


2 # planear e preparar refeições


Certamente já deram por vocês a fazer várias refeições "fora da rotina", a comer mal, a saltar refeições durante a semana, certo? Isto acontece porque muitas das vezes não nos organizámos, não estabelecemos um plano ou simplesmente nao atribuímos tempo suficiente a planear o nosso dia/semana. Algo que ajuda a seguir uma "rotina" saudável é passar a levar o almoço de casa, desta forma conseguimos evitar não só gastos desnecessários, mas também evitar refeições de asneira sem necessidade. Comecei a planear melhor as minhas refeições, tanto almoço que acabo por levar de casa ou jantar. Ao termos um planner de refeições conseguimos já ter uma visão geral do que vamos comer essa semana sem deslizes. 


 


3 # move it!  


Sabemos que nem sempre conseguimos é verdade, mas o exercício físico é muito importante. Por vezes não conseguimos fazer aquele treino de 1h30 por falta de tempo, ou porque dormimos mal na noite anterior e não conseguimos acordar com energia suficiente, ou ao fim do dia surgem reuniões inesperadas e que se alongam até à hora de jantar. Contudo o exercício físico não tem de ser só ginásio, podemos até fazer treinos curtos de 30 a 45 minutos, o Holmes Place tem aulas  e treinos express que nos ajudam neste sentido. Podemos também aproveitar os fins-de-semana para dar uma caminhada, andar de bicicleta e começar por fazer algumas escolhas no dia-a-dia: optar por escadas e não pelo elevador, optar por transportes públicos ou estacionar o carro mais longe do que o costume para nos obrigar a andar um pouco mais. 


 


4 # dormir 8h/9h 


Sempre que possível! Sabemos perfeitamente que há fases em que isso não é possivel, mas devemos organizar-nos sempre para que consigamos dormir pelo menos 8h diárias. É algo que tenho tentado fazer de há um ano para cá, e que me tem ajudado a concentrar-me muito mais durante o dia e a ser mais produtiva. Acreditem que faz toda a diferença.


 


5 # desligar


É bem dificil. Mas a verdade é que durante a semana, chegar ao fim do dia, depois de um dia intenso de emails, de trabalho, de reuniões non stop, etc tenho tentado ao máximo desligar das redes sociais, do email, do what's app e dedicar mais tempo à casa, ao Manel, à minha família e à Olívia claro! Tentar desligar das redes e dar atenção às pessoas que me rodeiam, aproveitar para descontrair, ver uma série, ler um livro ou folhear as minhas revistas. 


 


6 # self care sunday


Domingos são sempre sagrados! Normalmente o programa é família, séries, filmes e cuidar de mim! Com o stress e o lufa lufa da semana nem sempre é possível cuidarmos de nós e da nossa pele e por isso nada como aproveitar os domingos para fazermos tudo aquilo que adoramos fazer no que toca a beauté: máscaras de hidratação, máscara de cabelo, máscaras anti impurezas, tratamentos anti-olheiras, manicure entre muitas outras coisas. A somar a isto: música ambiente, séries, livros, chás e mantas.


 


Estes são os meus 6 hábitos para um estilo de vida melhor e mais equilibrado. Quais os vossos? 



 


Uma das coisas que mais me perguntam relacionadas com a dieta e com o estilo de vida é como é que nunca perdi a motivação e como é que mantive sempre o plano alimentar sem deslizes. Pois bem, dizem que demoramos cerca de 28 dias a adquirir novos hábitos por completo (sejam alimentares ou outros) e por isso mesmo são os primeiros 28 dias que custam mais.


Hoje trago-vos 8 dicas que vos podem ajudar a não perder o rumo e a fazer com que a vossa dieta realmente funcione, sem deslizes.
#1 planear
parece extremamente aborrecido, mas a verdade é que sem nos organizarmos e sem planearmos as coisas não vão funcionar. Acabamos sempre por fazer um pequeno deslize aqui ou ali e se nos mantivermos fiéis a um plano alimentar, as coisas são bem mais fáceis. As idas ao nutricionista vão ajudar-vos especialmente porque ele vos dá várias opções de vários pratos para as várias refeições do dia e depois o truque é irem "montando" o vosso meal plan consoante as regras do que podem e não podem comer, as quantidades etc. Planear é provavelmente um dos pontos mais importantes em todo este processo. 

O facto de planearmos vai fazer também com que "estudemos" melhor as regras que nos foram "impostas" pelo nutricionista e mais para a frente será depois mais fácil de conjugarmos com o nosso dia-a-dia, almoços e jantares fora etc. 

#2 clean & shop
termos pequenas tentações em casa não ajuda nada a quem está a querer lutar por um estilo de vida mais saudável, por isso há um passo muito importante a fazer: limpar! No fundo desintoxicar a despensa e arranjarmos maneira de irmos distribuir tudo aquilo que não podemos comer, pelos amigos ou até mesmo por quem mais precisa. De seguida, vamos rechear a despensa e o frigorifico de coisas boas. Se viverem com alguém que é basicamente o equivalente a um espargo (como o meu caso, o meu irmão é super magro e come tudo e mais alguma coisa), aqui a dificuldade é mesmo tentarmos não comer as coisas deles. Se por acaso viverem com alguém que também tem uma alimentação péssima e quer mudar, acaba por ser uma boa companhia e uma boa motivação para juntos conseguirem levar a dieta para a frente.

#3 sazonal
optem sempre por alimentos da estação, isto porque, para além de irem aprender a ver o que é e o que não é próprio da estação, vai sair mais barato e a comida sabe muito melhor. E isto ajuda a que a motivação continue do vosso lado, não há nada pior do que irmos comprar um fruto que não saiba a nada e comermos só porque temos de comer fruta não é? O mesmo para os vegetais e legumes...



#4 think green first!
sabemos que temos de incluir legumes e vegetais na nossa alimentação e na nossa dieta por isso porque não começarmos a planear os nossos pratos por aí? Funciona exactamente como a roupa que vamos vestir, normalmente sabemos que queremos calçar aqueles sapatos e construímos o look todo em volta deles, o mesmo funciona com a comida. Comecem por pensar num vegetal ou legume e construam uma refeição à base disso, juntando a fonte de proteína e de hidratos que melhor combina com aquele vegetal ou legume. Vão ver que acaba por se tornar divertido e mais fácil ao longo do tempo. Além do mais, vamos experimentando vários sabores e conjugações diferentes.

#5 food diary
criem um diário de comida, pesquisem em blogs de cozinha saudável, comprem livros com receitas diferentes e que vos possam atrair. Hoje em dia há imensas coisas por onde podemos pegar e registem tudo o que gostariam de experimentar e o que pode ou não resultar consoante os vossos gostos pessoais. O facto de criarem um food diary e planearem as vossas refeições vai fazer com que a ida ao supermercado seja mais fácil, assim levam as receitas convosco e já sabem do que vão e não vão precisar, evitando custos extra e tentações. 

#6 gym time!
sim, emagrecer ser ir ao ginásio torna a coisa mais complicada. Para além de nos fazer bem ao corpo e à mente, assim que comecei a ir ao ginásio e a fazer tanto cardio como treino de máquinas e mais localizado comecei a perceber o tempo e o quanto me custava a perder um número determinado de calorias. Isto pode ajudar-vos a deixarem de consumir certos alimentos prejudiciais e que antes ingeriam em grandes quantidades. Para além do exercício físico nos ajudar a emagrecer, vai ajudar-vos a perceber o que não devem comer. 

#7 together it's better
certamente têm uma amiga, um namorado, um irmão, uma mãe ou um pai que precise também de perder peso ou de adoptar um estilo de vida mais saudável. Puxem por eles, criem um grupo de that's app e vão partilhando as vossas refeições, os vossos treinos diários e encontrem-se ao fim-de-semana para uma caminhada à beira rio, pela serra, uma volta de bicicleta. Optem por adoptar um estilo diferente, em vez dos típicos almoços que duram horas, porque não pegar na família e irem andar de bicicleta e depois acabarem num brunch bem saudável à beira-mar? Óptimas sugestões para mudarem e ganharem novos hábitos em família ou com os amigos. 

#8 os substitutos
as massas, o pão, o arroz, as pizzas, os hamburgueres e todas essas coisas deliciosas vão ter de ser comidas com moderação, mas como é que podemos resistir? Pode tornar-se muito difícil, no entanto é bem mais fácil do que parece. Há os chamados "substitutos" que enganam o estômago, por exemplo no caso do arroz podem usar couve-flor (aqui), no caso da massa podem usar os zoodles (aqui), no caso dos hamburgueres podem optar por hamburgueres de carnes magras feitas em casa e o "pão" usarem um cogumelo portobello  e no caso das pizzas, porque não optar por uma base de couve-flor? Há muitos substitutos que são igualmente deliciosos e que não vão dar por eles. Claro que podem comer tudo isto, com moderação, mas se optarmos por opções mais saudáveis, melhor ainda. Ficamos felizes e não "fizemos asneira".


São 8 dicas que são fundamentais e que podem ser muito úteis. Agora não há desculpas, vamos pô-las em prática?




Decidir mudar, é o primeiro passo e o mais importante de todos. Mas e depois? What's next?

Tudo o resto vem por acréscimo, por que de facto tem de partir de nós, somos nós que temos de querer mudar, de lutar pelo nosso bem-estar e pela nossa saúde. No que toca aos hábitos alimentares, sabemos que nem sempre é fácil orientarmo-nos, até podemos comprar 54 livros com planos alimentares, mas a verdade é que se não formos orientados e acompanhados por um nutricionista, a probabilidade de voltarmos ao mesmo é muito grande. Sabemos que não devemos comer fritos, gorduras, doces com frequência, no entanto há muito mais para além disso e que devemos ter em conta. 

O nutricionista tem um papel muito importante, até porque é ele que vai tentar perceber o que gostamos e não gostamos de comer e vai incluir tudo isso no nosso plano. A verdade é que se torna tudo mais fácil quando continuamos a comer coisas de que gostamos, o truque está na quantidade e na frequência. Para além disto, já não é novidade por aqui que o nutricionista teve um papel muito importante na minha vida, fez com que conseguisse introduzir hábitos mais saudáveis no meu dia-a-dia e sem dúvida e o mais importante de tudo, não deixar de comer coisas de que gosto, além do mais não somos de ferro e, de vez em quando não resistimos. Na altura que decidi mudar o estilo de vida aprendi muita coisa sobre nutrição, percebi que misturas de alimentos é que posso e não posso fazer, aprendi a gerir quantidades, percebi quais os alimentos de sinal verde, amarelo e vermelho entre muitas outras coisas que acabaram por me manter motivada durante todo o processo e que faz de mim aquilo que sou hoje.


Actualmente há muitos nutricionistas e muito por onde escolher, e eu dou-vos 4 sugestões de 4 nutricionistas que aconselho

Na altura que decidi consultar um nutricionista, marquei na Clínica Europa, infelizmente o médico que me seguiu já não dá consultas lá, mas gostei muito de ser acompanhada por lá e sem dúvida que é um local que tenho aconselhado sempre e que algumas pessoas têm marcado consultas. Actualmente estou a ser seguida pelo Dr. André Matias que tem uma abordagem bem diferente e que pode ser mais radical para uma primeira abordagem, mas que é super eficaz e tem uma visão bem interessante e que tenho seguido e acompanhado ao longo dos últimos meses. Outra nutricionista que é muito querida é a Dra. Lilian Barros que, curiosamente, foi colega de faculdade do Dr.André Matias (como o mundo é pequeno!). A Lilian Barros é bem conhecida neste meio, não só pelo seu blog Santa Melancia mas também pelas suas publicações. Aconselho vivamente a que marquem uma consulta com ela, super simpática e vai sem dúvida traçar-vos um plano de acordo com os vossos gostos e estilos de vida, para que o processo se torne mais fácil.

Last but not least, não posso deixar de mencionar a Dra.Mónica do Hospital da Luz  isto porque é uma médica que conheci há uns meses quando marquei a primeira consulta de nutrição para a minha avó que decidiu mudar o estilo de vida - passou a saber comer bem, melhor e a fazer exercício físico adequado à sua idade e desde o início do ano até agora já perdeu quase 10kg! Estou super orgulhosa dela e sem dúvida que me deixa completamente babada. Keep going grandma!

Claro que a tudo isto se junta o exercício fisico que para além de ajudar na perda de peso, faz com que nos sintamos melhor e faz super bem à saúde. Começarmos a incluir exercício físico na nossa rotina é cada vez mais importante, não por uma questão de estética mas sim de saúde. E para que a motivação não se vá embora, aconselho um PT nos primeiros tempos ou que façam uma avaliação e peçam a um personal trainer para vos traçar um plano de treinos para que vejam resultados mais rápidos e eficazes. No Holmes Place por exemplo é exactamente isso que fazem assim que nos inscrevemos e nada melhor do que isso para ajudar a que nos mantenhamos focadas e motivadas nos nossos objectivos. O primeiro passo, e o mais difícil, já foi tomado por vocês: decidir mudar! 

unnamed.jpg


 


Uma das pessoas que gosto MUITO de seguir no snapchat é a nutricionista Catarina Lopes [@catarinanutri]. Confesso que a comecei a seguir há uns meses e todos os dias fico vidrada em todos os snaps dela, e porquê? Porque a Catarina consegue ser muito mais do que uma nutricionista, consegue passar-nos todas as informações necessárias e importantes, com um toque de humor e com a sua boa disposição e ao mesmo tempo puxar por um estilo de vida melhor que se reflecte não só na alimentação, mas também na forma de encararmos a vida


 


Num dos snaps da semana passada a Catarina falou na prática do mindfulness, na meditação e na sua importância e sem dúvida que é um tema que me agrada bastante e que reparei que era algo que estava a falhar comigo que podia ser a solução para alguns problemas ou pelo menos que me conseguia ajudar. Quem me conhece sabe que sou muito extrovertida, sempre eléctrica e que não paro, mas a verdade é que até nós, as chamadas formiguinhas atómicas, precisamos de um tempo para parar, para pensar, para respirar. A minha mãe sempre acreditou e defendeu a meditação e este tipo de práticas, mas a verdade é que até há pouco tempo quase ou nada lhes dava valor, até ter decidido experimentar. 


 


 



Não enchi a casa de velas nem coloquei a playlist ZEN do Spotify a tocar, apenas comecei por tirar cerca de 10 minutos de manhã, ou ao fim do dia quando não tenho tempo. Sento-me na varanda que é um sítio bem calmo e tento começar por me concentrar na minha respiração, algo que me ajuda a tentar focar-me porque sou uma pessoa muito "cabeça no ar". Obviamente que não sou nenhuma expert, aliás, nem sei se se pode chamar a isto meditação, mas a verdade é que este tempo que tiro para "parar" ou antes de "arrancar" tem-me ajudado muito a controlar algumas coisas: crises de ansiedade, mais organização e alguma estabilidade. Há várias dicas e muitos livros sobre este assunto que podem ser úteis se estiverem interessadas em saber mais, é algo em que quero apostar, até porque apostar em nós e no nosso bem-estar nunca é demais. Se tiverem algum livro que aconselhem, ou site ou outra fonte qualquer que acham que seja relevante, partilhem comigo. 


 


Sempre fui uma pessoa optimista e sempre tentei ver a vida de forma positiva, no entanto ao longo do caminho vamos encontrando pessoas que tentam derrubar-nos, pessoas com uma aura negativa e das quais nos precisamos de afastar. Por vezes demoramos algum tempo a perceber e a "ler" a aura das pessoas e deixamo-nos afectar. E deixamo-nos afectar provavelmente porque não nos conhecemos a 100% o que é um erro enorme. Passamos uma vida inteira a tentar descobrir quem somos, mas se tentarmos preencher os nossos dias de pensamentos positivos e incluirmos alguns gestos simples no nosso dia-a-dia, nas palavras da Catarina "sentir a sola dos pés", olharmos para o sol, sentirmos a nossa respiração ou pensarmos em coisas positivas, vão certamente ajudar-nos a encarar as coisas de forma diferente. Pode ser tudo psicológico e para algumas pode parecer disparatado, mas a verdade é que sempre defendi que devemos olhar todos os dias no espelho e sorrirmos, mesmo que achemos que não tenhamos motivos para isso. Há sempre motivos para sorrir, há que os encontrar nas mais pequenas coisas e deixarmos que essas pequenas coisas se tornem gigantes. Há que saber o que nos torna mais fortes e o que nos pode afectar e tentarmos evitar que as coisas más nos derrubem. Há que saber escolher-nos a nós antes de tudo o resto, afinal de contas a vida é demasiado pequena para ser desperdiçada com pensamentos negativos e auras menos boas, essas pessoas também têm um lado bom, só ainda não se descobriram e estão a deixar que a negatividade comande a vida delas. A verdade é que a meditação ajuda bastante nos transtornos emocionais, fases de ansiedade ou depressões, ajuda também a termos uma vida melhor e a conhecermo-nos, saber quem somos realmente e acima de tudo, quem não queremos ser.


 


 



 


Sim! E é delicioso! 

... Tirando as excepções quando opto pelos iogurtes sem lactose e pelo açaí. No que toca à alimentação os ovos têm sido motivo de estudo ao longo dos anos, se há uns anos atrás havia estudos que diziam que não devíamos comer ovos, hoje em dia já há estudos que vem contradizer e que vêm falar dos seus benefícios para a nossa saúde. O que é certo é que hoje em dia, a maior parte dos alimentos são todos manipulados e estão cheios de químicos, os animais stressados e cheios de antibióticos pelo que nem sempre sabemos o que estamos a comer. No que toca aos ovos por exemplo, há uns anos havia o drama das salmonelas e a verdade é que temos de ter cada vez mais cuidado com o que ingerimos.


No passado domingo foi o dia da mulher e como não podia deixar de ser, tinha de reflectir sobre algumas coisas que acontecem actualmente na sociedade. Não vou falar de desigualdades entre sexos porque fomos bombardeados sobre este assunto no fim-de-semana, ou sobre a violência doméstica, estive a reflectir um pouco sobre os padrões da sociedade dos dias de hoje, em conjunto com o manifesto que a Revista Happy lançou. 

Sentimo-nos quase obrigadas a perder peso para sermos bonitas em vez de saudáveis. Sentimo-nos na obrigação de preparar o jantar ou cuidar da casa para sermos vistas como mulheres exemplares. A sociedade dita as regras e se não as seguimos, somos “mulheres estranhas” ou demasiado modernas, nem todos os homens aceitam isso. Eu pessoalmente gosto muito e tenho todo o prazer em cozinhar ou ter tudo arrumado, mas faz parte de mim. Mas e as mulheres que não nasceram para a cozinha ou são são organizadas na sua própria desarrumação? 

Gosto de usar maquilhagem e saltos altos, mas há dias em que só me apetece calçar os meus ténis, sair com o cabelo meio desajeitado e sem maquilhagem. E faço-o porque sou feliz e não há nada melhor do que uma mulher confiante. Gosto de sonhar, sonhar bem alto e independentemente da possibilidade de realizar os meus sonhos ou não, continuo a sonhar porque são os sonhos que me movem e que me fazem levantar todos os dias da cama. E a ti o que é que te move? 

Quando perdi peso foi por uma questão de saúde e de não me sentir bem comigo mesma, não por uma questão de entrar nos padrões da sociedade. Tenho celulite, vou ao ginásio, ataco as bolachas, devoro chocolate. E daí? Sou feliz assim. Procuro um estilo de vida saudável e que ao mesmo tempo me deixe feliz, não quero ser privada das melhores coisas da vida porque só vivemos uma vez. 



 Sou mulher, somos todas mulheres, cada uma com os seus sonhos e com os seus ideais. Cada uma à sua maneira, com as suas particularidades. Olha-te ao espelho e vê o que mais gostas em ti, se é do teu sorriso, dos teus olhos, do teu cabelo, da tua gargalhada, das tuas sardas, da tua maneira de ser. És tão bonita por dentro como és por fora, aceita como és e sorri porque isto sim é ser feliz. É aceitarmos quem somos, sem as pressões de quem querem que sejamos. Não tentes ser quem não és, porque só vives uma vez e deves aproveitar a tua vida da melhor maneira. Agradece por estares aqui, por veres a luz do dia ou por conseguires ouvir os pássaros a cantar. 

Agradece por estares viva, por conseguires sorrir. Quando é que foi a última vez que deste uma gargalhada realmente bem dada? Desliga-te do mundo e liga-te ao que realmente importa, por vezes sentimos esta necessidade de sentir as coisas simples da vida. Experimenta desligares-te um dia que seja das redes sociais, do telemóvel ou da caixa de entrada, senta-te à mesa com as tuas amigas e aproveitem o momento. Junta a tua família e absorve cada segundo porque nunca se sabe o dia de amanhã. As coisas simples da vida são o que realmente nos deixam HAPPY. Aceita quem és, vive segundo as tuas regras e desliga-te do mundo. 

 Deixa o desgosto amoroso para trás porque se tens o coração partido, é porque ele não te merece. Arranja um homem que te aceite como és, que te faça sentir bonita sem maquilhagem, com o cabelo despenteado ou com a roupa que mais gostas. Dá um passo em frente, sempre. Em tudo o que fazes, porque a tua vida começa agora. Faz com que o teu dia de hoje seja sempre melhor do que o de ontem. Aprende a viver. Isto sim, é ser mulher. Ser mulher é ser feliz, não precisas de te esforçar em seres alguém que não és. Aceita e sê feliz. Sê melhor por ti e não por mais ninguém.


Sem dúvida que o Hygge tem ganho cada vez mais adeptos nos últimos tempos. Para quem não sabe, Hygge (que se pronuncia huga) é uma palavra dinamarquesa que não tem tradução mas que significa um estilo de vida baseado no conforto, aconchego e no convívio entre amigos e família. Tudo isto surge porque aquele que é o povo mais feliz do mundo, segundo um estudo, decidiu revelar alguns segredos para tal. Hygge é o segredo!


 


home-3.jpg


 


Com toda esta febre e o querer saber mais sobre este estilo de vida dinamarquês simples e tão feliz, comprei o livro Hygge e o Lagom há umas semanas e a verdade é que são daqueles tipos de livros que dão prazer de ler e de saber mais. Aos poucos acabei por me identificar muito com alguns dos conceitos do estilo Hygge, tais como o prazer de beber um chá quente à frente de uma lareira, um jantar à luz das velas ou um get together de famílias e amigos. No fundo uma série de coisas que nos dão prazer que são a base da nossa felicidade, desde as mais pequenas coisas: uma manta, séries, um chá, um livro, amigos e família.  


 


 



52273714709052c157ea1cf2b7cecd25.jpg


 A verdade é que na correria do dia-a-dia, do stress, de andarmos sempre a correr há coisas que não podemos mesmo deixar de fazer ou de apreciar. Tempo para nós, para os nossos pequenos prazeres, para a família e para os amigos é precisamente a base da nossa felicidade e se não dedicamos o pouco tempo livre que temos (ou arranjarmos um pouco de tempo livre para o fazermos) vai afectar toda a nossa rotina a curto e a longo prazo. Fiquei bastante ligada a este conceito, identifiquei-me com várias coisas e destaco especialmente o Manifesto Hygge que partilho acima convosco e que faz com que possam começar a entrar neste mundo e a perceber o segredo da felicidade daquele que é o povo mais feliz do mundo. O desafio agora? Manter nas minhas rotinas o que já fazia e começar a introduzir outras coisas aos poucos, nas próximas semanas darei mais feedback sobre este tema que tanto interesse me tem despertado. Who's with me? 


 


Para quem está interessado em comprar os livros Hygge e Lagom podem encontrar à venda na FNAC, aconselho vivamente!



 


 


 


morning-2.jpg


 


 



Não é só quando a época balnear se aproxima que devemos ter cuidados redobrados com o corpo. Devemos sim, ter uma rotina de beleza e cuidados ao longo de todo o ano e que estejam alinhados com um estilo de vida saudável e equilibrado. Hoje vamos falar de um assunto que nos preocupa a todas nós mulheres, a celulite. A maldita casca de laranja que nos assombra e que é mais comum principalmente nas coxas. Todos nós sabemos o que é a celulite, mas na verdade será que sabemos como é que aparece? Quais as causas? Como a podemos combater? 

 

 Há várias causas, sendo que a celulite pode ser genética,

pode ter causas hormonais, associada a problemas de

má circulação ou de má alimentação e falta de exercício físico.

 

 

 



LINE.png


o que é a celulite?


LINE.png


Mas afinal, o que é a celulite e como aparece? A celulite é uma alteração nos tecidos que se encontram por baixo da nossa pele e que têm um aspecto semelhante à casca de laranja. A celulite aparece principalmente quando ocorrem alterações na circulação do sangue que leva a um aumento do tecido fibroso e a acumulação de alguma gordura e que deixa a pele irregular. A celulite aparece especialmente devido a dietas ricas em gorduras ou carbohidratos ou a maus hábitos alimentares, como comer muito à noite e não comer durante o dia o que facilita o armazenamento de gorduras favorecendo a formação e aparecimento da celulite - e é aqui que tenho errado nos últimos tempos. Consumir muito sal ou pouca água dificulta a troca de líquidos do organismo favorecendo a retenção de resíduos tóxicos.


LINE.png


quais os níveis de celulite? 


LINE.png



Existem vários níveis de celulite, desde os níveis de celulite mais leve aos casos mais severos e que têm tratamentos diferentes. No entanto como é que devem saber qual é o vosso grau de celulite? Pois bem, o grau 1 é aquele em que a só vêm a celulite quando apertam as coxas por exemplo, o grau 2 é quando vêm poucos "furinhos" o grau 3 é quando a celulite é mais visível e profunda e por ultimo, o grau 4 é o grau severo de celulite onde se vê muita celulite à mostra e que por vezes a pele dói ou aparecem alguns caroços. ncontrei este esquema que explica como é que se forma a celulite e como é que tudo se processa.

 

LINE.png

que alimentos evitar? que alimentos consumir?

 

LINE.png

 

Há alguns alimentos que devemos evitar e alguns hábitos que devemos adoptar para prevenir a celulite, apesar de ser também um problema genético, podemos atenuar bastante com alimentos e com hábitos alimentares. Eu falo por experiência própria, quando decidi perder peso, a primeira coisa a incluir nos meus hábitos alimentares foi beber 2 a 3 litros de água por dia e isso fez imensa diferença na celulite e notei diferenças abismais. 

 

Os alimentos amigos para combater a celulite são o gengibre, frutos vermelhas, os espargos, o chá verde o limão. Para além disto, devemos ainda complementar com algum exercício físico. Por exemplo, o gengibre acelera o metabolismo e tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, os espargos a cebola ou o alho por exemplo são ricos em silicio um mineral que estimula a produção de colagénio que dá elasticidade e firmeza a pele, ou as frutas vermelhas como o morango, framboesa, amoras, mirtilos, bagas de goji etc que eliminam os radicais livres - o que danifica os tecidos. O que me aconselharam foi a consumir cerca de 10 unidades por dia, é o suficiente e podem sempre incluir na vossa alimentação ao pequeno-almoço por exemplo. O chá verde desintoxica, acelera o metabolismo e tem acções anti inflamatórias para além de hidratar e ajudar a reduzir a casca de laranja. A juntar a isto, o melão, a melancia ou o abacaxi também ajudam a combater a celulite pois melhoram a circulação. 

 

Mas então que alimentos provocam a celulite e que alimentos devemos evitar? Os refrigerantes e bebidas com gás são alimentos a evitar, bem como o sal ou alimentos ricos em sal, doces e chocolates, fritos, o café (quando tomado em excesso), carbohidratos refinados e o álcool. 

 

Para combater a celulite, nada como uma alimentação equilibrada e um estilo de vida mais saudável, com exercício fisico, muita água e podemos usar alguns cremes que ajudam a atenuar e a eliminar a celulite, principalmente as de nivel mais leve. Como tratamentos complementares, temos ainda alguns cremes que ajudam a reduzir e atenuar o problema.

 

 


 
Um dos meus objectivos para 2019 era incluir mais refeições "plant based" e mais verdes ao longo do dia - começar com um sumo verde, tentar fazer algumas refeições exclusivamente vegetarianas etc. Apesar de ter passado por todo o processo de perda de peso que já partilhei aqui várias vezes, deixamos de viver em "modo dieta" e passamos sim a viver um novo estilo de vida, com outro tipo de cuidados - especialmente com a alimentação e com a prática de exercício físico. 



O que é mais difícil neste novo estilo de vida? Encontrarmos receitas diferentes e variadas! No meu caso gosto muito de cozinhar e de experimentar receitas diferentes, acabo sempre por "inventar" um pouco e hoje venho partilhar convosco uma salada bem nutritiva - rica em fibra, proteína e que é ideal para levarmos para o trabalho ou para quando queremos "desenrascar" um almoço rápido e saudável em casa. 




Neste caso não é uma salada plant based, pois temos o miolo de camarão à mistura, no entanto, para quem é vegetariano pode retirar o camarão que fica igualmente deliciosa - na verdade esta semana acabei por comê-la totalmente só com vegetais. É uma salada super fácil e rápida de fazer e que acaba por render várias porções - ideal para fazer durante o fim-de-semana e guardarmos em pequenas porções para o resto da semana (fica a dica!!) 

ingredientes
miolo de camarão
abacate 
mistura de alfaces 
alho francês
brócolos 
romã
amêndoa laminada 
aipo
azeite
sal 
pimenta


how to 
1. começo por saltear os brócolos e o alho francês com um pouco de azeite, sal e pimenta
2. junto o miolo de camarão previamente descongelado até ficar rosado e deixo arrefecer
3. num prato coloco a mistura de alfaces - gosto de comprar as já embaladas que são super saudáveis e práticas. Junto ainda os espinafres e o abacate, a romã e a mistura de brócolos, alho francês e camarão. No final tempero com um pouco de pimenta, azeite e vinagre e coloca um pouco de amêndoa laminada


Normalmente faço sempre uma boa quantidade de vegetais salteados para dar para o resto da semana e vou acrescentando o resto dos ingredientes - alface, espinafres, as vezes junto abobora, cenoura cozida, ovo etc. Acaba por ser algo mesmo muito prático! 
Blogger Template Created by pipdig